Aqui vai-se falar da cultura em geral De música e literatura em particular

31
Ago 09

Como já é do conhecimento daqueles que aqui vêm, eu criei um novo blogue http://amadordoverso.blogspot.com/ para tentar dar uma maior visibilidade à minha poesia e aproveitar para conhecer outros registos poéticos.

 

Nesse contexto, é de todo natural que eu tenha procurado outros blogues nessa plataforma que satisfizessem as minhas pretenções.

 

De facto encontrei o género de blogues que procurava e devo dizer que alguns até superam as minhas melhores expectativas.

 

Como seria natural, comecei por ler o maior número de artigos em cada blogue e depois de passar algum tempo embrenhado em pesquisa, fiz as minhas escolhas.

 

Entre os blogues que adicionei, como seguidor, existem alguns que me merecem um destaque maior. Por essa razão, resolvi voltar a fazer um artigo sobre os poetas da blogosfera. (Como o tempo passa a correr. O último artigo deste género, já o fiz há nove meses, bolas)

 

Sem mais delongas, passo agora a falar sobre os blogues que merecem mais atenção.

 

Existem três blogues, associados entre si, onde encontrei um trabalho similar ao do nosso bem conhecido António Silva ( dos blogues cá te espero; eu li e antheos)

 

As responsáveis por estes blogues Maria Bózoli e Reggina Moon dão-nos a conhecer não só vários poetas brasileiros que de outra forma fugiriam ao nosso olhar, mas também poesias de alguns consagrados como Cecília Meireles, Vinicius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade e os nossos Fernando Pessoa e Florbela Espanca.

 

No blogue http://mariaeregginapoesias.blogspot.com/ podemos ler poemas escolhidos por estas duas amantes da boa poesia, enquanto em http://marialbozolipoesias.blogspot.com/  as escolhas são responsabilidade  de Maria Bózoli e em http://versoeprosapoemas.blogspot.com/ a responsável é a Reggina Moon.

 

Para quem estiver interessado em acompanhar com regularidade estes blogues, já coloquei à vossa disposição links nos meus espaços. São realmente blogues a não perder. E tanto a Maria Bózoli como a Reggina Moon são de uma simpatia e generosidade comovente.

 

 

Quero também falar de um outro blogue http://cibelecamargo.blogspot.com/ onde li muito boa poesia, neste caso, da própria autora do blogue Cibele Camargo.

 

 

Aqueles que me acompanham regularmente já sabem como eu sou atento aos pormenores e não estranharão o que adiante direi.

 

 

Cibele Camargo neta de portugueses naturais de Espinho começou a escrever em 1982 e sob influência de um amigo, decidiu começar a editar os seus escritos no inicio dos anos 90. Para sua grande surpresa, o êxito foi imediato, dando-lhe inclusive a possibilidade de ser motivo para um artigo na revista Veja em Dezembro de 1991.

 

Com 4 livros editados no Brasil A vida além da sua, Verdades e 1/2, Quando as letras se encontram e Dublê de pássaro,Cibele Camargo tem o sonho, que está tentando concretizar, de editar a sua bela poesia em Portugal.

 

Se algum responsável de uma editora ler este meu artigo, aconselho-o vivamente a ler esta poetisa e a publicar os seus poemas.

 

A todos os meus amigos da blogosfera desejo que se deliciem com estes blogues sugeridos onde a poesia tem lugar de destaque e exclusividade.

 

Boas leituras

 

 

 

 

 

 

publicado por manu às 10:33

Olá Manu!!

Excelente artigo e já estou indo visitar o outro blogue que comentou. Achei muito bacana esta visão que você nos dá sobre a poesia aqui no Brasil. Uma visão de "fora" é mais creditável e, no caso, com maior abrangência, uma vez que há dificuldades de difusão deste tipo de trabalho por aqui. Empolgante e lerei as suas indicações também!

Um grande abraço,

Rafael
Rafael Castellar das Neves a 3 de Setembro de 2009 às 12:59

Amigo Rafael! Em primeiro lugar quero dar-lhe as boas-vindas aqui neste meu espaço que é de todos os que quiserem entrar.
Em relação a este artigo, devo dizer que não é só aí que existe esse "preconceito" sobre as artes literárias. Também aqui se vive muito em função dos consagrados, sem que as pessoas parem para pensar um pouco e chegar à conclusão que também os grandes escritores tiveram que começar de algum lado. Eu sempre digo que a grande vantagem destes nossos tempos é esta ferramenta fascinante chamada internet. Tal como muitos aí no Brasil, também eu e outros como eu ( com uma paixão enorme pela poesia) encontrámos na internet um meio de divulgar e dar a conhecer ao mundo o que escrevemos.
Por minha parte, sempre que encontrar talento e qualidade por essa blogosfera, vou fazer os meus artigos e dar indicações como estas, independente de serem talentos portugueses, brasileiros ou de outro país de língua portuguesa. Afinal, estamos falando de um dos idiomas mais falados no mundo.
Muito obrigado pela sua visita e pelo simpático comentário. Espero que depois de visitar as minhas sugestões você concorde com tudo o que disse no meu artigo.
Forte abraço.
manu a 3 de Setembro de 2009 às 21:01

Olá Manu! Me sinto bem-vindo e à vontade para sempre retornar!

Então, vejo que é um problema comum este, hein? Tem toda razão ao dizer sobre os "grandes" que um dia também foram "pequenos", ainda, muitos que se foram "pequenos" e só depois se tornaram "grandes", sem ao menos poder vivenciar este grande momento.
Realmente a internet tem sido maravilhosa para essa divulgação... olhemos para nós neste momento!
Gostei muito do seu trabalho aqui, desta sua proposta. Ainda que simples, tento fazer isso em meu blogue com colegas que tenham algo guardado e que nunca quiseram mostrar... divulgo!
Também tenho uma paixão enorme pela nossa língua... a carga de beleza e sentimentos que nele há é indescritível!

Meus parabéns por esse trabalho, pois sabemos muito bem que não é nada fácil, mas um começo. Sim, suas dicas foram excelentes, gostei muito delas, e concordo ainda muito mais com seu artigo.

Aproveito a oportunidade para lhe convidar a visitar meu blogue, onde publico meus textos: http://descemaisuma.blogspot.com.

Um grande abraço,

Rafael

Amigo Rafael! Quando iniciei este meu blogue, a minha primeira intenção era falar de cultura em geral, de musica e literatura em particular (como pode ler no subtítulo deste blogue). Logo num dos meus primeiros textos, decidi escrever sobre o livro "Tropa de elite" e do "Rap das armas" (género musical que conheço desde as raízes americanas do início dos anos 80). Feito esse primeiro texto, fazia todo o sentido ampliar as minhas sugestões a nível mais universal e prestar mais atenção à lusofonia. E quem melhor para fazer este género de divulgação sendo eu um entre tantos anónimos com amor e paixão à literatura escrita em português. Quem melhor do que nós os "pequenos e desconhecidos" para o fazer? Se estas iniciativas não partirem de nós, ninguém vem em nosso auxilio ( não existe BIG BROTHER " para quem escreve, menos ainda escrevendo poesia). E é muito gratificante quando os nossos pares (aqueles que realmente importam) nos reconhecem algum mérito. Eu costumo dizer, a quem comenta a minha poesia, que são os comentários deles que me fazem avançar e nunca desistir de escrever. Porque não retribuir com estas divulgações? Sabemos muito bem que nem todos serão bem sucedidos, mas se dermos a mão a vinte ou trinta, talvez venhamos a ver um deles a ser reconhecido. E esse reconhecimento será também por nós que em boa hora o referenciámos. Desde que escrevo meus artigos, já tive duas amigas que publicaram seus livros de poesia e outras duas que entraram numa colectânea. O sucesso delas também é o meu sucesso.
Continue com seu trabalho de divulgação. Um dia você pode vir a sentir também a satisfação de ver alguém, por si referenciado, a editar.
Abraço grande
manu a 8 de Setembro de 2009 às 17:59

É Manu... é um trabalho de formiguinhas, mas sempre lembrando o que formiguinhas conseguem fazer juntas: mudar grande!

Quando comecei meu blog, a grande dificuldade foi me atirar! Sim, parecia decidir entre me atirar num poço escuro que não sabia aonde ia dar, ou simplesmente ficar imaginando o que poderia ter sido. A cada dia descubro que estou menos sozinho do que o dia anterior e, como você disse, nos ajudamos e nos encorajamos. Concordo plenamente consigo, são os comentários que nos mantêm empolgado e determinados a continuar, continuar e continuar. E assim, nos tornamos um enorme formigueiro!

Entendo o que quer dizer em respeito ao sentir o sucesso dos amigos que apoiamos. Tenho um amigo que aconteceu algo semelhante com suas músicas. É delicioso!
Ontem, por exemplo, consegui publicar em meu blog um texto de um colega de trabalho que ao me ver expondo este lado literário, assumiu também o seu (ainda escondido e arredio), mas o convenci e um de seus textos foi publicado! Consegui trazer mais um! rsrs

Sim, Manu! Continuarei, continuaremos juntos... ao poucos vamos divulgando mais e mais e conseguindo chegar cada vez mais longe e sempre!

Um grande abraço,

Rafael

Amigo Rafael! Não sei se acreditas em coincidências, mas no meu texto de hoje falo do teu blogue. É apenas uma chamada de atenção ao teu trabalho de divulgação que merece referência. Abraço grande.
manu a 15 de Setembro de 2009 às 15:45

Sério, Manu?

Nossa, fico muito contente com essa referência, muito mesmo!

Bom, acho que esse é um bom momento para firmar uma crença sobre coincidências!

Vou conferir imediatamente!

Muito obrigado mesmo...e um grande abraço!

Rafael

Mais tarde colocarei links nestes meus blogs. Sempre é uma forma de divulgar esforços similares. Abraço.
manu a 15 de Setembro de 2009 às 16:53

Linda a sua idéia, de escolher o que considera melhor e assim, dá oportunidade de
procura.
Felicito-o!

Maria Luísa
M.Luísa Adães a 6 de Setembro de 2009 às 16:54

Olá Maria Luisa! Sem querer puxar muito a brasa à minha sardinha, creio que posso fazer um género de serviço público. E não me import mesmo nada de o fazer. Abraço grande.
manu a 6 de Setembro de 2009 às 22:47

Manu

Gostei da idéia! Eu ando a fazer um pouco disso, mas não me conduz a nada de positivo.

Azar meu! Mas aceito e louvo quem o faz.

beijos,

Mª. Luísa

Olá Maria Luisa! Tudo isto que faço tem explicação na grande paixão que tenho pela poesia. Tento ser um remador contra maré, perante os preconceitos que, infelizmente, ainda perduram no tempo. Com resultados ou não... o tempo o dirá, pelo menos fico com a consciência de ter tentado fazer algo nesse sentido. Beijo grande.
manu a 7 de Setembro de 2009 às 09:28

Manu

Obrigada por essa essa "paixão" pela poesia. E essa paixão, tanta falta faz aos nossos dias!

beijos,

Mª. Luísa

Maria Luisa! Agradeçamos antes à poesia por permitir esta paixão. Beijos.
manu a 7 de Setembro de 2009 às 12:18


Venha alguém que agradeça à poesia.

euconheço pessoas, amigas e familiares que não estão interessados em reconhecer o que escrevo.

louvo quem o faz!

Beijos,

Maria luísa

Maria Luisa! Nesse capítulo não está sozinha. Mas tal como eu, também a Maria escreve, em primeiro lugar, para si própria. E a prova do que digo vem do facto de deixarmos que cada um faça a sua interpretação do que escrevemos. E só damos importância aos comentários que sentimos serem construtivos e fonte de discussão (pela positiva) dos temas abordados. No fim de contas, o que realmente interessa é manter bem viva esta chama, esta paixão pela poesia. E tal como acontece comigo, também acho que a Maria nunca vai permitir que a falta de atenção e reconhecimento de alguém seja suficiente para apagar a sua chama, a sua paixão. Beijos
manu a 7 de Setembro de 2009 às 17:45

Tem toda a razão; só nos interessa quem comenta pela positiva, mas cada um interpreta a seu modo.
Às pessoas que não lhes interessa a poesia, eu não falo de poesia; isso significa que prefiro a análise de um conhecedor e amante de poesia.
Ninguém me pode tirar ou diminuir o "dom" que me foi dado ao nascer.
As opiniões de quem não gosta ou não entende, me são indiferentes.
E assim eu escrevo, assim eu vivo e gosto desta forma de estar no mundo.

Com amizade,

Mª. Luísa

Olá Maria Luisa! Quanto a mim, posso dizer o que sempre digo a quem me comenta, são os comentários construtivos que me dão motivação para continuar a fazer a minha poesia. E quem não gosta raramente comenta.
Quanto às interpretações, cada um é livre de fazer a sua e não fico nada aborrecido se o meu poema for interpretado de uma forma errada. Em primeiro lugar está sempre a minha própria interpretação.
Beijo grande.
manu a 8 de Setembro de 2009 às 18:05

De acordo os comentários positivos dão alegria.


Quem não gosta não lê, não comenta.

Cada um interpreta a seu modo.

Mas o poema pertence ao poeta
Ele é que sabe o que significa!

Beijos,

Mª. Luísa
M.Luísa Adães a 9 de Setembro de 2009 às 10:39

Eu costumo dizer que muito podem ver as cores de um poema, mas apenas quem o escreve conhece a sua tonalidade.
Beijos
manu a 9 de Setembro de 2009 às 23:58


Manu


Só o poeta conhece a tonalidade do poema

E a razão pela qual escreve

E os motivos que o levam a escrever.

Lançado no mundo, como um filho,

Sofre as transformações do mundo

E o Poeta apenas pode assistir

Não pode interferir!

Beijos,

Maria Luísa
M.Luísa Adães a 10 de Setembro de 2009 às 10:34

Olá Maria Luisa!
Perfeitamente de acordo com o que diz. Apenas acrescento: Mas somente o poeta conhece a verdadeira essência do poema.
Beijos.
manu a 10 de Setembro de 2009 às 21:30

Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28
29



links
Posts mais comentados
22 comentários
18 comentários
16 comentários
12 comentários
12 comentários
comentários recentes
Parabéns ao apresentador e à autora!Bjo!
otimos comentarios de Simon Scarrow,
Que surpresa!!!!Beijocas
E dia 22 lá estarei muito, muito orgulhosa :)Beijo
Meu querido amigo venho desejar um excelente 2011 ...
Gostei muito da apresentação que o Xavier fez do t...
Olá meu amigo como pode verificar não fica atrás a...
Olá Fátima! Com a saúde não se brinca, espero que ...
Meu amigo é com tristeza que venho pedir desculpa ...
Olá Manelita! E não precisas passar factura. Beijo...
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO